Objetivo foi debater linhas de cuidados para a pessoa idosa; Dom Peruzzo é presidente Nacional da Pastoral da Pessoa Idosa

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CIDOSO) realizou, nesta quarta-feira (29), uma audiência pública para debater linha de cuidados para idosos no Brasil, mediante efetivação de políticas sociais públicas que permitam um envelhecimento saudável e em condições de dignidade. Um dos principais encaminhamentos da reunião foi debater, para o Orçamento da União de 2019, a inclusão de recursos para o custeio da Pastoral da Pessoa Idosa, através da indicação de emendas parlamentares.
 
Além da deputada Leandre, autora do requerimento para realização da audiência pública, participaram do debate o presidente Nacional da Pastoral da Pessoa Idosa e Arcebispo Metropolitano de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo, a coordenadora da Pastoral da Pessoa Idosa, Irmã Terezinha Tortelli, e a secretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Maria Socorro Medeiros de Morais,
 
“Alegra-me poder estar aqui. Esta é uma casa acerca da qual se noticia muito os tropeços e se oculta muitas coisas boas que por aqui se faz”, disse o arcebispo Dom Peruzzo. “Fico muito gratificado ao perceber que cresce o interesse aqui na Câmara dos Deputados. E aqui quero registrar a gratidão da Pastoral da Pessoa Idosa à deputada Leandre e a todos os que aderem ao que ela propõe”, completou.
 
De acordo com Dom Peruzzo, hoje a Pastoral da Pessoa Idosa acompanha cerca de 140 mil idosos em todos os estados do Brasil, com a ajuda de 18 mil voluntários. O arcebispo ponderou que, mesmo com o custo médio de R$ 2,00 por mês, muitas vezes a falta de apoio e a burocracia para arrecadar recursos dificultam o trabalho dos voluntários e, consequentemente, da Pastoral.
 
“Com alguns poucos tostões, quase produzimos milhões. Não em moeda, mas em solidariedade”, disse.  “Os idosos visitados são mais dóceis aos tratamentos médicos, tem menos quedas em casa, precisam menos de internações, de próteses. O afeto combate a depressão. Mas infelizmente quando procuramos auxílio sempre encontramos muita burocracia. Há uma cultura na sociedade atual de esquecimento do idoso”, ponderou.
 
A Irmã Terezinha Tortelli, coordenadora da Pastoral da Pessoa Idosa, reiterou as afirmações do arcebispo e completou: “a falta de recursos resulta na falta de perseverança dos voluntários que se veem obrigados a assumir seus gastos para continuar com o voluntariado”.
 
Já Maria Socorro Medeiros de Morais, secretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, apresentou as linhas gerais de cuidados para os idosos do Ministério da Saúde, do Ministério do Desenvolvimento Social, e comentou o desafio da Secretaria em congregar as políticas e coordenar a Política Nacional da Pessoa Idosa.
 
Segundo ela, a Secretaria está fazendo a atualização da política nacional da pessoa idosa, com vistas para a criação de uma rede assistencial sócio sanitária, conforme aponta a Convenção Interamericana de Direitos Humanos da Pessoa Idosa.
 
Para concluir a reunião, a deputada Leandre deu como encaminhamentos da reunião tanto o compromisso em discutir recursos, através de emendas parlamentares, para a Pastoral da Pessoa Idosa, no Orçamento da União em 2019, quanto ações para combater e debater as novas formas de violência contra os idosos que se manifestam na sociedade, como a violência institucional, por exemplo.
 
“A Pastoral da Pessoa Idosa é a instituição que mais cuida das pessoas idosas, principalmente aquelas que estão privadas do convívio social”, concluiu a deputada paranaense. 
Fonte: Assessoria de Imprensa
Link Encurtado:
https://goo.gl/ZJqKvW