Em fórum sobre o assunto, especialistas afirmam que o Brasil ainda precisa trabalhar muito para atender demandas da população com mais de 60 anos

Municípios brasileiros ainda precisam trabalhar muito para promover ambientes favoráveis aos idosos, de acordo com especialistas ouvidos na Câmara. As comissões de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e de Desenvolvimento Urbano promoveram fórum sobre o assunto nesta quarta-feira (6).
 
O objetivo foi analisar o projeto Cidade Amiga do Idoso, também chamado Cidade para Todas as Idades, criado em 2010 e que atualmente reúne mais de 500 cidades em 35 países.
 
A iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) é fruto das reflexões do geriatra brasileiro Alexandre Kalache, que em um congresso acadêmico há 12 anos motivou a promoção de mudanças para além da acessibilidade e da mobilidade urbana, respeitando as demandas da população com mais de 60 anos e atuando em áreas como saúde e moradia.
 
O prefeito de Cachoeira do Sul, cidade gaúcha de 87 mil habitantes e quase 200 anos de idade, citou, por exemplo, as dificuldades impostas por árvores antigas que comprometem a estrutura das calçadas e são barreiras físicas para a população mais velha. "As raízes das árvores causam insegurança aos idosos e riscos de fraturas violentas", informou.
 
Para o presidente da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo, João Carlos Correa, existem leis que facilitam a vida do idoso tanto no ambiente doméstico quanto fora de casa - só que elas não são cumpridas. Ele destacou soluções arquitetônicas de custo baixo para melhorar as cidades brasileiras, como, por exemplo, a transformação de uma vaga para automóveis em uma pequena praça.
 
"Alternativas extremamente baratas para criar espaços agradáveis para qualquer população, não só pra idosos, mas para crianças, estudantes, que têm que andar de casa a escola, eles terão um lugar para parar e sentar e isso funciona", defendeu.
 
Mudança de cultura
A deputada Leandre (PV-PR), uma das autoras do pedido para o debate, afirma que a implantação do programa Cidade Amiga do Idoso em todo o país depende de uma mudança de cultura.
 
"Depois de a sociedade comprar a ideia e estar comprometida com o projeto, entendendo que vai fazer bem para todas as pessoas que vivem na cidade, não só as pessoas idosas, ela vai ser o principal agente transformador e de cobrança dos governos que passarem pela cidade", argumentou.
 
Projeto de lei
Durante o fórum, a representante do Ministério de Desenvolvimento Social, Silvia Magalhães Costa, apresentou os detalhes da Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa, um desdobramento do programa da OMS, que tem previsão de lançamento para março de 2018.
 
O Projeto de Lei 1313/11, de autoria do deputado Ricardo Trípoli (PSDB-SP), torna lei o programa Cidade Amiga do Idoso e está sendo examinado pela Comissão de Seguridade Social e Família, onde será relatado pela deputada Leandre.
Fonte: Agência Câmara Notícias / Foto: Vinícius Loures / Câmara dos Deputados
Link Encurtado:
https://goo.gl/3iZMpy