Representante da Organização Mundial da Saúde sugere trabalho por videoconferência para dar continuidade aos projetos em parceria com a deputada e municípios do Paraná

A representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), Dra Haydeé Padilla, enviou um documento à deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR) manifestando apoio internacional nas ações do mandato, mesmo durante o período de Pandemia. A OMS é parceria na implantação do projeto Cidade Amiga do Idoso e também em ações de promoção do Marco Legal da Primeira Infância.

Haydeé Padilla, coordenadora na Unidade Técnica da Família, Gênero e Curso de Vida da OPAS e da OMS no Brasil, se colocou à disposição para apoiar o Estado do Paraná e os municípios já comprometidos com os programas em questão, até mesmo durante o período crítico de pandemia.  

A preocupação é dar continuidade ao trabalho dos municípios que buscam a certificação internacional, mesmo que este apoio técnico seja realizado por videoeconferência.

“A intenção é que nossos esforços na agenda da pessoa idosa possam continuar mesmo a distância, pois sabemos quão difícil essa situação, mas podemos trabalhar estrategicamente. Assim, se possível, gostaria de propor um planejamento mínimo de cooperação com reuniões virtuais planejadas de acordo a sua disponibilidade e disponibilidade de equipe do Estado”, indica a coordenadora da OMS.

Leandre agradeceu a disposição da entidade. “Sempre que nós precisamos, representantes da OMS vieram ao Paraná para orientar os municípios que buscam a certificação de Cidade Amiga do Idoso e orientação para outros programas internacionais. Neste momento, eles se mostram ainda mais sensíveis à causa, dando continuidade ao trabalho, mesmo a distância”, gratificou.

A deputada afirmou que o planejamento, sugerido pela representante da OMS, já está em fase de elaboração. E tranquilizou os municípios paranaenses que estão em busca da certificação: “Nós vamos desenvolver uma metodologia de trabalho à distância, em parceria com a Organização Mundial da Saúde. Sabemos que a prioridade dos municípios é o cuidado com a saúde e frear o avanço do coronvaríus. Mas o trabalho de certificação, mesmo durante este período crítico, não vai parar”, garantiu.
Fonte: Assessoria de Imprensa
Link Encurtado:
https://bit.ly/2xhbFFz